A Luz que Nasce na Serra

00:14:00

Documentário retrospetivo sobre a produção e consumo de eletricidade em Portugal, desde o funcionamento das centrais térmicas em 1945, passando pela produção de energia eólica nas barragens de Castelo de Bode no rio Zêzere e de Venda Nova no Rio Cávado em 1951, até à produção hidráulica da energia elétrica alcançada em 1956.

  • Nome do Programa: A Luz que Nasce na Serra
  • Temas: Ambiente e Energia, Ciência e Tecnologia, Economia e Finanças
  • Canal: RTP 1
  • Menções de responsabilidade: Locução: Gomes Ferreira Montagem: Baptista Rosa Autor e Realizador: José António Ribeiro
  • Tipo de conteúdo: Programa
  • Cor: Preto e Branco
  • Som: Mono
  • Relação do aspeto: 4:3

Resumo Analítico

Gráfico ilustrativo da produção de eletricidade entre 1945 e 1956. 03m48: Serras e vales; Rio Cávado e seus afluentes; Barragem da Caniçada; edifício dos comandos e subestação; central; elevador que conduz à sala das turbinas; homem entra no elevador; telefone instalado por motivos de segurança, pode ligar para qualquer ponto do país; bombas de lubrificação; aparelhagem acessória, eixo da turbina que faz a ligação ao gerador; sala dos comandos; operadores fazem leituras e verificações; pontes sobre os Rios Caldo e Cávado, construídas para substituir outras que ficaram submersas na albufeira da Barragem da Caniçada. 07m04: Barragem de Salamonde, concluída em 1953; comportas, na parte superior da barragem, que se destinam ao escoamento da água quando chove demais e a albufeira ameaça transbordar; Subestação de Salamonde; ruínas da aldeia que, durante o Inverno, fica debaixo das águas da albufeira; nova aldeia construída pela Hidroeléctrica do Cávado para a população desalojada da aldeia submersa. 08m24: Placa “Venda Nova”; escola primária; igreja; Barragem de Venda Nova, terminada em 1951, é a mais antiga do país; cartaz de aviso de perigo; condutas com vários quilómetros de extensão, conduzem a água até à central; Central da Venda Nova; sala de turbinas; comandos, central telefónica; Bairro de Sidrós, onde habitam os empregados da hidroelétrica; capela; 11m58: Construção da Barragem de Paradela, por um sistema diferente: escavadoras; camiões transportam pedras; descarregamento provoca derrocada; pedras vão-se acamando e fazendo altura com o auxílio de um jacto de água intenso; barragem terminada; central iluminada.

Termos e condições de utilização

Os conteúdos disponíveis estão protegidos por direitos de propriedade industrial e direitos de autor. É expressamente proibida a sua exploração, reprodução, distribuição, transformação, exibição pública, comunicação pública e quaisquer outras formas de exploração sem a autorização prévia da RTP. O acesso aos conteúdos tem como único propósito o visionamento privado e educacional sem fins comerciais. Para mais informações, entre em contato com o arquivo da RTP através do seguinte endereço de correio eletrónico: arquivo@rtp.pt .